20 junho, 2010

PESARES, DESAMOR!


Quem vê em olhos prantos
Ilusão encontrará
Lamúrias e enganos
Num piscar irão chegar

Solidão maltrata o desalento 
Congela e trás vazio
Tudo mais que incerto
De certo, só se sabe frio

Botão que flor nunca será
- Onde vê toda essa graça?
Um dia acordará

Se ainda assim decidires amar
Findará num jardim florido
Numa rosa a desbotar!

( Amanda Lopes)

8 comentários:

renato disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
renato disse...

Uau q incrivel ,só vc pra fazer algo assim

rsrsrrrrrrrr

Eduardo Andrade disse...

sabia que contemplava vós de superioridade intelectual...

é com maestria que manuseia e coloca vossos rabiscos em espaços certos!

com "clichê" findo o comentário: PARABÉNS!

Rildo Junior , disse...

Te achei uma fofa e adorei o poema, mesmo ele sendo um pouco triste e frio, mas acho que o amor também tem o seu lado meio ' deprimente ' .
Se puder dá uma passadinha lá no meu cantinho,
www.this---isme.blogspot.com

Bianca Pc disse...

voce escreve muito bem
continue
:*

Waldemar Alvarenga Lapoente (Reizinho) disse...

Esta semana o Blog Expresso do Fluxo, recebeu dois prêmios e a oportunidade de premiar outros. Como acompanho seu blog há algum tempo, tenho a satisfação de dizer que através de seu esforço, criatividade e dedicação... Você também esta recebendo esse incentivo a continuar escrevendo. Visite o blog: www.expressodofluxo.blogspot.com e pegue seu premio. Parabéns

Waldemar Alvarenga Lapoente (Reizinho) disse...

Amandinha, respondi seu comentario pelo Twitter. qualquer duvida, manda um e-mail: progenerico@yahoo.com.br Abraços

Tati disse...

Minha linda,
obrigada pela indicação... faz tempo já, mas só pude vir responder hoje..estava sem pc!
beijo grande!